Avisos:

Já tentou ser feliz hoje? O que está esperando? Não espere a felicidade bater na sua porta, saia a procura dela.

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

The Aliance #2


"De mudanças"

Três indivíduos sentados em uma mesa de xadrez, dois deles disputando uma partida, enquanto o terceiro apenas observa atentamente, ambos homens bem vestidos, de boa aparência e com olhares inofensivos.
- Sua rainha está desprotegida. Diz o indivíduo de longos cabelos vermelhos e terno alaranjado.
- Meu peão cuidará disso.
- Tem certeza disso?
- Absoluta.
- Mais um de seus generais caiu. Já foram três só nas últimas semanas.
- Eles tiveram o que mereciam. Só os fortes prevalecem... Seu rei parece vulnerável.
- Impossível.
- Soube que um grupo das suas experiências se formou... Estão tramando algo. Sabe algo a respeito?
O homem de terno laranja ficou parado por alguns segundos após ouvir a pergunta, logo pegou uma das peças e fez um movimento, se recostou na cadeira e deu um curto suspiro.
- Não.
- Um deles parece ser bastante peculiar... Seus feitos chamaram a minha atenção.
- Não sei do que está falando. Você está acabado.
- Acho que não. Check.
- Hum... (Ele fica em silencio por alguns instantes e leva a mão ao queixo) Não é meu dia de sorte. O que vai fazer em relação aos Valcons?
- Deixe que pensem que estão ganhando. A decepção da derrota será ainda mais devastadora.
- Enquanto aquele garoto?
- Quem? Pergunta ele levantando-se da cadeira.
- O pupilo do Collins.
- Há... Ele não representa nenhuma ameaça.
- Ele já matou três dos nossos generais. Como pode afirmar isso? Pergunta o terceiro homem com uma voz calma.
- Deixem-no pensar que é poderoso. Tenho planos para ele.
- Talvez devêssemos dar um fim a esse jogo. Diz o homem de terno laranja.
- Não. O jogo está apenas começando.
Todos começam a rir, e suas sombras formadas na parede, mostram suas verdadeiras formas aterrorizantes, cada um deles possuem chifres enormes em suas cabeças.
Enquanto isso, Jason dorme dentro do carro, começa ter um sonho que mais parece uma lembrança, ele está mais jovem, caminhando em uma rua longa, a sua frente um homem usando um sobretudo semelhante ao seu, ele tenta cada vez mais alcança-lo, porém seus passos não conseguem acompanha-lo, ele inicia uma corrida mas parece que o homem fica cada vez mais distante, então o homem misterioso para, e aos poucos vai se virando e uma luz muito forte sai de seus olhos e nesse momento Jason acorda.
- Pesadelos? Pergunta o homem a sua frente no carro.
- Não sei ao certo. Responde ele olhando a janela com um olhar distante.
- Tem dormido direito?
- O bastante.
- Você é um péssimo mentiroso.
- E você é um péssimo psicólogo.
- Tuchê.
- Falta muito?
- Não. Já chegamos.
Jason olha pela janela, o carro em que ele está entra em um galpão abandonado, imediatamente ele estaciona no meio do galpão e todos descem do veículo.
- Quando se mudaram? Pergunta Jason.
- Desde “O evento”.
- Todos?
- Um terço do nosso departamento.
- Entendo...
- Você sabe... Tivemos muitas perdas.
- Sim. Eu sei.
- Desculpe Jason. Não foi o que eu quis...
- Tudo bem Bill. Vamos descer.
O motorista vai até um contêiner no fundo do galpão, põe a palma da sua mão direita na porta do contêiner e uma leitura digital acontece, logo após isso, uma luz infravermelha digitaliza seu rosto e escanceia sua retina, em seguida Bill faz o mesmo, logo é a vez de Jason.
- Ok. Faz tempo... Diz ele pondo sua mão no leitor digital.
- Reconhecimento completo. Bem vindo agente Horkis.
- Obrigado... Jen...
A porta do contêiner se abre, dentro dele, uma escada vai se formando para o subsolo, todos descem e param em frente a um elevador, o silêncio permanece, enquanto o elevador desce, Jason observa os andares em que eles vão passando, tudo parece ainda estar inacabado, como se estivessem de mudança, se readaptando a um novo lugar, eles estão descendo para o último andar abaixo, a porta abre-se.
- Chegamos.
Eles caminham lado a lado em direção a uma porta, no topo dela está escrito Nipe, Jason lê com indiferença e Bill abre a porta. Eles entram em uma grande sala, parece um escritório gigantesco, ao centro, um homem sentado em sua mesa de costas para eles, Jason dá um longo suspiro, o homem vira o torço levemente.
- O filho pródigo a casa retorna. Diz ele.
- Calisto... Diz Jason.
- Jason Horkis. Diz ele se levantando e indo em sua direção.
Um clima tenso toma conta do local, Bill e o motorista se afastam lentamente de Jason, o homem aproxima-se e para em sua frente.
- Vem cá seu moleque! Diz ele o abraçando forte.
- Ei! Não aperta forte assim!
- Você cresceu hein? Andou tomando alguma coisa? Pergunta Calisto.
- Claro que não. Você que parece muito bem... Senhor Nipe.
- Pois é... Depois do “Evento” eu acabei assumindo o posto.
- Você mereceu.
Calisto é um homem negro e muito alto, tem um braço mecânico implantado após perde-lo em batalha, ele é um Nipe, o terceiro na hierarquia Alianciana, cuida dos casos que exigem força bruta, especialidade em artes marciais e ocultismo, era grande amigo do mestre de Jason.
- Sabe moleque... O Collins ficaria muito orgulhoso de você.
- Ele ficará. Afirma Jason com convicção.
- Jason... Já conversamos sobre isso...
- Não importa o que digam. Eu sei que ele está vivo. É por isso que estou aqui. O Bill me disse que vocês obtiveram pistas sobre ele.
- Bem... De certa forma sim. Mas...
- Onde está a Verônica?
- Jason. Sente-se.
- O que está acontecendo? Onde ela está?
- Faça o que ele disse Jay. Diz Bill com um olhar preocupado.
Jason se senta, todos fazem o mesmo, a tensão toma conta da sala, Calisto pega uma taça e enche de Whisky, bebe um gole e olha para  Jason.
- Depois do “Evento” há cinco anos atrás, a nossa organização teve grandes perdas, não só em poder bélico mas também financeiro, grandes dos nossos fornecedores e financiadores, ou foram misteriosamente assassinados, ou simplesmente pararam de nos ajudar.
- Possessões demoníacas. Interrompe Bill.
- Exatamente. Após seu mestre ter feito o que fez, houve aparentemente um grande desequilíbrio entre os três reinos, e assim, como você mesmo já sabe... acabou se formando um quarto reino...
- O Limbo. Completa Jason.
- Sim... E isso desencadeou centenas de casos e distúrbios sobrenaturais em todo o mundo, tivemos perdas em todo nosso território, simplesmente os seres das trevas parecem estar se multiplicando cada dia mais, semana passada tivemos um caso de três Lycans juntos em Nova York, algo nunca visto antes em mais de três mil anos de Aliança.
- Lycans não andam em grupo. Eles são territoriais, portanto o que presenciamos foi algo até o momento inédito e perturbador.
- Acha que isso tem relação com... “Aquilo”?
- Não temos dúvidas. Conseguimos manter o controle... Até que...
- Até que?
- Eles reapareceram.
- Eles... Quem?
- Aqueles que reinam na escuridão... E se alimentam dela dentro dos humanos.
- Os Obscure. Diz Bill.
- Não... Pode ser... Diz Jason perplexo.
- Sim. É verdade.
- Impossível! O David matou o ultimo deles!
- Parece que não foi bem assim.
- Onde está a Verônica? Ela estava lá! Ela pode ter explicações sobre...
- É aí que ela entra na história... Diz Calisto virando a taça e bebendo todo Whisky.
- O que? O que você quer dizer? Onde ela esta?
- Bem...
- Calisto... Onde... Ela... Esta?! Exclama Jason se levantando.
- Não... Sabemos. Ela saiu em missão dizendo que era tudo culpa dela e que tinha que dar um fim nisso.
- Como assim? Pra onde ela foi?
- Ela foi... Em busca dos Obscure.
- O que?! Não pode ser! E você deixou?! Diz Jason aos berros e avançando sobre Calisto.
- Ela não me ouvia... Mandei cinco dos meus melhores homens com ela. Mas não tive mais noticias de nenhum deles.
- Como você pode... Eu prometi ao David... Prometi que a protegeria...
- E você continuará protegendo... Pois sua missão é encontra-la.

Nenhum comentário:

Postar um comentário